domingo, 21 de agosto de 2011

"Ninguém é igual a ninguém. Todo ser humano é um estranho ímpar."

"Venho percebendo aos poucos e ainda assim, de modo assustador, surpreendente e bonito, a complexidade do ser humano. Podemos ser observados, caracterizados, podemos nos expressar e usar todas as possíveis palavras e ainda assim, o que sentimos continuará único e singular. Você pode entender, mas jamais conseguirá sentir ou ser o outro. E assim como os sentimentos, nós também somos únicos."

Nenhum comentário: