terça-feira, 24 de agosto de 2010

"O que ela quer é falar de amor. Fazer cafuné, comprar presente, reservar hotel pra viagem, olhar estrela sem ter o que dizer. Quer tomar vinho e olhar nos olhos. Ela quer poder soprar o que mora dentro, o que não cabe, que voa inocente e suicida. Ela quer o que não tem nome. Quer rir sem saber de quê, passar horas sem notar, quer o silêncio e a falação. Ela quer bobagem. Quer o que não serve pra nada. Quer o desejo, que é menos comportado que a vontade. Ela quer o imprevisto, a surpresa, o coração disparado, o medo de ser bom. Quer música, barulho de e-mail na caixa, telefone tocando. Ela tem muito e quer mais. Quer sempre. Quer se cobrir de eternidade, quer o oxigênio do risco pra ficar sempre menina. Ela quer tremer as pernas, beijo no ponto de ônibus e a milésima primeira vez. Quer cor e som, lembrança de ontem, sorriso no canto da boca. Ela quer dar bandeira. Quer a alegria besta de quem não tem juízo. O que ela quer é tão simples. Só que ela não é desse mundo."

(Cris Guerra)

5 comentários:

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Que lindo Luzia!´Bela leitura para uma terça! Ameeii!

BeijO*-*
http://evesimplesassim.blogspot.com/

Patty Vicensotti disse...

Que belo post,Luiza!
Não conhecia esse texto.Muito lindo :)

Beijos!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

"A Felicidade não é desse mundo" [ainda]

Jesus...

:)

Sil.. disse...

Vezenquando eu tbm não me sinto desse mundo!

Luzia, a Cris é uma linda né?
Esse lance de superação dela, é de emocionar a gente.

Um abraço do tamanho do mundooo pra ti, que é uma querida!

Evelyn Ceinwyn . disse...

O que ela quer é viver!
E deixe que viva!

um beijo Luzia..