sábado, 10 de julho de 2010


"A vida se aprende nas perdas. É perdendo a liberdade que a gente descobre que não se encaixa, é perdendo alguém que a gente descobre que não vale a pena lutar por futilidades, é perdendo o apoio que a gente descobre que o resto do mundo não para só porque nosso mundo parou. A gente vai aprendendo a viver assim, na marra, no grito, no sufoco, no impulso.

Eu quis mudar o mundo, quis ser brilhante, quis ser reconhecida. Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto. Eu me libertei da culpa e dei de cara com algo novo: não me encaixo, e aceito. Não é justo perder as asas no momento em que se descobre tê-las. É preciso poder voar, é preciso ter uma visão estratégica das janelas. Ver o sol e não poder tê-lo é absurdo."

(Verônica Heiss)

5 comentários:

Eu lírico disse...

sou nova nesse mundo da blogsfera , mas amei teu espaço, virei seguidora, se puder visite-me
:)

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ NARA CABRAL Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

A cada dia existe uma renovação constante, e nunca um será como o outro... Não
há dores eternas, lágrimas eternas, perdas eternas!
Há sorrisos , esperando-lhe, dias de sol, o abraço dos amigos,
tantos sonhos lindos!
estou te seguindo se quiser siga-me
e voe ate onde seus sonhos te levar
com carinho mil beijo

Grafite disse...

Belo texto! tão bom vir aqui...

"Eu quis mudar o mundo, quis ser brilhante, quis ser reconhecida. Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto."

beiijo querida,
*.*

Brunno Lopez disse...

Talvez as pessoas valorizem demais o sol e por isso ele pareça inatingível.

Por isso eu gosto da chuva.
Ela sempre está ao alcance das nossas mãos.

Visitei e agora sigo.

Noe* disse...

Lindo texto!
Se eu vejo o Sol, eu posso tê-lo. Eu acredito, eu tenho fé mais que tds as coisas!
Um beijo, Luiza =*