segunda-feira, 10 de maio de 2010

"Mas eu sou tradicional. Sou convencional, apesar de não ser normal. Se eu me corto, eu sangro. Se bato o dedo no pé da mesa, dói. Sou uma pessoa comum. Acredito no até que a morte nos separe e também no eterno enquanto dure. Acredito que, se eu sou capaz de ser fiel, alguém mais pode ser. Acredito que eu não sou uma laranja, mas preciso da minha outra metade pra me sentir inteira. Valorizo as pequenas atitudes, assim como condeno pequenas mancadas. Sou rancorosa, guardo por anos uma coisa que me magoou de verdade. Sei perdoar. Passo por cima dos erros pra ficar junto das pessoas que eu gosto. Tenho meus limites. O primeiro deles é meu amor-próprio. Perdoo uma vez, porque errar é humano. Perdoo duas porque o ser humano é estúpido às vezes. Mas não posso viver perdoando porque isso seria incompetência minha."

(Brena Braz)

7 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Desconheço a autora, mas belíssimo o texto! ;)

Thaisa Schelles disse...

Adoreiii o texto, o final então é ótimo!

;***

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Ammeeii muito menina!!
Bela escolha!
Me identifiquei muito...rsrsrs

BjO*-*

http://evesimplesassim.blogspot.com/

Nara disse...

Também perdoo, mas não sei se consigo ficar perto depois de tudo.

ótima escolha!

beijo,
Nara

Tatiane Lemos disse...

Esse texto mostra o que nós mulheres sentimos.....muito profundo, adorei*

Sil.. disse...

Luzia querida, tão eu, tão euuuuu rsrs.
Que texto lindoooooooo!

Um abraço!!
Adoro passar aqui!

Carmem disse...

Lindo e pé no chão, de verdade.
As três últimas frases a arrematar parecem a minha cara :)

Te descobri e estou seguindo há pouquinho mas gosto de verdade de vir aqui e de viajar os olhos pelas palavras com que "decoras" teu blog. Magnífico!

Se quiseres me visita que vou gostar
http://filosofandoemcimadabicicleta.blogspot.com

bjkas