quarta-feira, 19 de maio de 2010


"Eu sou o que posso, na medida em que me permitem
Quando posso eu ultrapasso as fronteiras...
Quando nao posso do meu limite faço arte.
Sou semelhante ao rio.
Se me barram, eu aprofundo. "

(Pe. Fábio de Melo)

2 comentários:

Sil.. disse...

De emocionar essas palavras.
Um grande abraço Luzia, tão querida sempre!

Amanda Teles e Tamillys Camilo disse...

OLá moça,
Pense na pessoa q se apaixonou pelo teu blog.
Parabéns!!!
Estamos te seguindo.
Visita o nosso tb.
Bjão ;)