quarta-feira, 28 de abril de 2010


"O tempo, de vento em vento, desmanchou o penteado arrumadinho de várias certezas que eu tinha, e algumas vezes descabelou completamente a minha alma. Mesmo que isso tenha me assustado muito aqui e ali, no somatório de tudo, foi graça, alívio e abertura. A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar. De se tornar manhã novíssima depois de cada longa noite escura. De duvidar até acreditar com o coração isento das crenças alheias. A gente precisa é saber criar espaço, não importa o tamanho dos apertos. A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu. É de um amor que não enruga, apesar das memórias todas na pele da alma. A gente precisa é deixar de ser sobrevivente para, finalmente, VIVER. A gente precisa mesmo é aprender a ser feliz a partir do único lugar onde a felicidade pode começar, florir, esparramar seus ramos, compartilhar seus frutos."

(Ana Jácomo)

5 comentários:

Geraldo de Barros disse...

Luzia, adorei essa postagem, ótima

;)

beijos,
Ge.

Thiara Ribeiro disse...

Selo de reconhecimento pra vc no meu blog! Com tdo meu carinho! ;)

Karla Thayse disse...

Que lindo...

Beijo Flor!

Jonathas Nascimento disse...

Ola,
Bonito blog, palavras sabias.
Voltarei mais vezes.

Deixo um convite para passar pelo acervo pop.

Abracos

Bio disse...

Lindooo...amei essa parte " A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar."

A gente muda todo dia e nossas certezas mudam junto com a gente!