terça-feira, 14 de dezembro de 2010

"Que esta minha paz e este meu amado silêncio. Não iludam a ninguém. Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta. Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios. Acho-me relativamente feliz. Porque nada de exterior me acontece... Mas, em mim, na minha alma, pressinto que vou ter um terremoto!"

(Mário Quintana)

8 comentários:

Lauraine Santos disse...

como te seguir??

O aplicativo não abre!!
Belo blog!

Bjs

Colecionadora de Silêncios disse...

Lu, querida amiga... vc sempre nos presenteia com o que há de mais belo na nossa literatura, não é?

Quintana é magnífico! E este trecho, em especial, fabuloso!

Adoro ler-te. :)

Beijinho

Kami disse...

Felicidade plena =)

Beijos Luzinha

Lucas Fábio disse...

Que belo. Comigo não nada parecido.

Ligia L. disse...

Oi (:

tem um selinho para você no meu blog é só procurar o nome do seu blog entre os selinhos e pegar o seu, espero que goste *-*

http://ligialouro.blogspot.com/2010/12/gente-voces-viram-que-lindo-meu-novo.html

beeijos

Flávio Antunes Soares disse...

Eu sou suspeito para falar de Mário Quintana, porque, entre os poetas brasileiros, ele é meu preferido.
Me identifico muito com este texto.

Gostei do blog!

Ligia L. disse...

Obridaga pelo carinho e sabia que o selinho foi por merecimento (:

beeijos

Lu disse...

Adoooooro este... sacode meus lugares-comuns. :)

Beijos mts. :)